32 C°

quinta-feira, 4 de junho de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario

Colunista - Rubens Frota

Com as portas fechadas e trabalhando apenas com entregas em boa parte do país, bares e restaurantes lutam para não fechar definitivamente

sexta-feira, 22 de maio 2020

1 Com as portas fechadas e trabalhando apenas com entregas em boa parte do país, bares e restaurantes lutam para não fechar definitivamente. E assim como diversos setores, têm encontrado dificuldades para conseguir crédito e manter as contas em dia – apesar dos programas de financiamento já lançados pelo governo.

2Segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, 80% dos empresários do setor já buscaram algum tipo de crédito junto aos bancos. Desses, no entanto, 81% tiveram o pedido negado.

3Os bares e restaurantes estão precisando com urgência de dinheiro barato e em adequadas condições com carência e prazo de pagamentos ajustados para os desafios atuais”, disse o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci. “Enxergamos muitas tentativas do Governo Federal de oferecer crédito barato e que chegasse na ponta, mas que, até agora, foram infrutíferas”, lamentou.

4Desde o início da pandemia, o governo já anunciou uma linha de crédito emergencial voltada a pequenas e médias empresas (com faturamento de R$ 360 mil a R$ 10 milhões) para ajudá-las a pagar os salários de seus funcionários, e uma linha de crédito da Caixa Econômica Federal voltada ao microempreendedor individual e a micro e pequenas empresas para que obtenham capital de giro.

5O crédito que não chega faz falta: a pesquisa da Abrasel mostrou que 78% das empresas do setor precisaram renegociar o contrato de aluguel, e 62% estão com dificuldades para repor os estoques para a reabertura, quando ela vier a ocorrer.

6Isso porque, para 64% das empresas do setor, o faturamento caiu mais de 75% em comparação com o período antes da pandemia, segundo o levantamento, feito com 1.558 estabelecimentos entre os dias 15 e 18 de maio.

Arrecadação
A arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais registrou queda real (descontada a inflação) de 28,95% em abril, contra o mesmo mês do ano passado, e somou R$ 101,154 bilhões. As informações são da Receita Federal.

Em abril
Em abril de 2019, a arrecadação havia somado R$ 142,365 bilhões. De acordo com dados da Receita Federal, o resultado de abril deste ano também foi o pior para o mês desde 2006, quando somou R$ 94,505 bilhões – ou seja, em 14 anos. Os valores foram corrigidos pela inflação.

Lucro da Caixa
A Caixa Econômica divulgou que registrou um lucro líquido contábil de R$ 3,049 bilhões no primeiro trimestre de 2020, o que representa uma queda de 22,2% frente ao mesmo período do ano passado (R$ 3,920 bilhões). No último trimestre de 2019, o lucro havia sido de R$ 4,899 bilhões (queda de 37,8%).

Ação
A MRV, uma das empresas privadas que mais investem no esporte brasileiro, está, desde o fim de abril, selecionando 12 atletas do sexo feminino que estão competindo por vagas nas Olimpíadas de Tóquio. As escolhidas serão patrocinadas por 24 meses – antes, durante e depois dos jogos – pela companhia. Metade das esportistas já foram escolhidas e convidadas pela empresa e pela capitã da campanha, Maurren Maggi; as outras seis vagas estão abertas para inscrição no site elastransformam.mrv.com.br até hoje, 22 de maio. A campanha #ElasTransformam tem o objetivo de fomentar o esporte brasileiro e enaltecer a importância da presença feminina nesse espaço.
Ação II
Para participar, as atletas devem enviar um vídeo de, no máximo, um minuto, explicando o motivo pelo qual devem ser escolhidas, bem como sua trajetória no esporte. Marcelo Vido e Mariana Brochado, dois experts no tema, selecionarão as esportistas. “Estamos muito felizes com a campanha, temos recebido contato de excelentes atletas. Os jurados terão um trabalho árduo”, diz Rodrigo Resende, diretor de Marketing e Novos Negócios da MRV. “O objetivo da MRV sempre foi de ajudar a transformar sonhos em realidade. Ao apostarmos no esporte feminino e no poder transformador das mulheres, estamos cumprindo com nosso propósito e oferecendo a oportunidade dessas esportistas estarem mais próximas de seus sonhos”, ressalta Resende.

Doação
A Ibyte, referência no varejo especializado em eletroeletrônicos e tecnologia, doará todas as câmeras que serão utilizadas nos atendimentos em vídeo do projeto Sintonia, realizado pela primeira-dama Carol Bezerra, em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS). A ação disponibiliza suporte psicológico online para profissionais que atuam nas unidades municipais de saúde no combate ao novo coronavírus.

Doação II
Os equipamentos auxiliarão no serviço prestado aos profissionais que estão na linha de frente da pandemia da covid-19. “Estamos felizes e realizados de apoiar esse projeto tão edificante. Esses especialistas merecem todo o respeito e cuidado neste momento tão delicado que a nossa sociedade vive. Nós, da Ibyte, reconhecemos toda a importância e competência dos responsáveis pela saúde da nossa população”, comenta o VP administrativo financeiro, Francisco Marinho.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com