32 C°

sábado, 7 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Colunista - Fernando Maia

Deus salve o Sesi

quarta-feira, 31 de julho 2019

 

Num país cuja sociedade vivencia do mais alto nível de desemprego, deixando fora do mercado mais de 13 milhões dos seus membros ativos, qualquer informação que traga alívio passará a ser muito bem-vinda, apesar de navegarmos numa preocupante situação de depressão econômica. Estamos nos referindo à notícia vinda de Brasília, segundo a qual o Governo Federal, com a acessória técnica do Sesi deverá oferecer, e pra já, 800 mil vagas de ensino técnico para jovens do programa Bolsa-Família. A informação traz novo alento a centenas de milhares de jovens e suas famílias, hoje vítimas dos efeitos nocivos do desemprego. Diante dessa auspiciosa notícia, vem à tona uma realidade que não tem sido muito bem absorvida pela maioria dos que criticam os atos de quem se encontra no poder, ou seja, que grande parte desse desemprego se deve a ausência da capacitação profissional dos que buscam uma oportunidade de crescer na vida, problema inexistente em países onde se prioriza o preparo técnico, tão essencial quanto o ensino superior. Esse exemplo deveria ser imitado pelo Sesc órgão da Fecomércio, cuja existência não justifica o seu enorme orçamento anual. O problema é que falta a entidade do comércio uma liderança que se nivele em expressão ao presidente da Fiec.

A maior obra do Beto. Por trás do Sesi, órgão da Federação Nacional das Industrias, estão empresários visionários como Beto Studart, presidente da Fiec, que soube transformar o Serviço Social da Industria do Ceará numa fonte permanente de sabedoria e conhecimentos para a formação profissional de milhares de jovens que deixarão a escuridão para receberem a luz da cidadania. Sem dúvida, essa foi a maior obra do atual presidente da casa mater. da indústria que despede-se da função no próximo mês.

Confiança nele. A presença do deputado Roberto Pessoa no PSDB é vista por lideranças tucanas, como fator seguro da recuperação da força político-eleitoral que esse partido chegou a possuir. Tem lógica essa assertiva; ele conseguiu uma façanha única ao ser votado em todos os 184 municípios do Estado.
Dessalinização do mar. A Praia do Futuro, deixará de ser uma das mais atrativas do Estado para lazer e turismo. Ali, será construída a usina de dessalinização das águas do mar, projeto com custos iniciais de R$ 500 milhões, mas que terá orçamento final de R$ 3 bilhões, e que será localizada à altura da Barraca Marulho.
Distritos turísticos. Lideranças da política estadual apressam-se em mobilizar apoio ao governador Camilo Santana, tendo em vista a criação dos distritos turísticos, onde serão instalados conselhos deliberativos, constituídos de lideranças regionais, para demandas de projetos turísticos.
Confusão à vista. Está aprovada, pela comissão especial da Câmara dos Deputados, relatório da medida provisória que suprime a proibição do funcionamento de bancos e comércio aos sábados, domingos e feriados. Trata-se de proibição existente há 57 anos que poderá gerar debates entre entidades sindicais bancárias e comerciais.
Plantão. O diretório regional do PSDB-CE está de plantão, até esta quarta-feira, para receber lideranças tucanas visando a escolha de nomes para prefeituras e câmaras municipais. O alvo é a reconquista de prefeituras perdidas ao longo das últimas décadas.
Chovendo no roçado. Ótima notícia para produtores rurais com contas atrasadas no Banco do Nordeste. Segundo o superintendente de Agronegócio daquela instituição, produtores devedores terão abatimentos de até 95% em suas contas a serem renegociadas.
Alerta vermelho. Dirigentes do FMI para a América Latina alertam para estudo recente em relação à Venezuela, da sua situação econômica e da sua população, fazendo advertência aos países latino-americanos. A hiperinflação reduzirá em 60%, nos próximos meses, o PIB daquele país, promovendo a fuga de 5 milhões de venezuelanos para países vizinhos.

“Desconfie de políticos que ao ingressar ou retornar a um partido, priorizem a derrubada de governos e não as necessidades da sua gente”. Deputado Fernando Hugo (PP).

hoje

Mais lidas