32 C°

sábado, 7 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Colunista - Cláudio Humberto

Dilma quer Leonardo, do PSG, presidindo a CBF

sexta-feira, 12 de abril 2013

• A presidenta Dilma sabe que não pode meter o bedelho nesse assunto, por se tratar de entidade privada, mas tem um candidato preferido para assumir a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF): Leonardo, craque aposentado da seleção brasileira e atual dirigente de uma das maiores forças do futebol francês, Paris Saint Germain (PSG). Ela quer ver José Maria Marin fora da CBF o mais rápido possível.

• Planos secretos – Lembrada de que as federações estaduais é que definem o presidente da CBF, Dilma dá de ombros. Parece ter planos intervencionistas. 

• Consultas – “O que acha de Leonardo da CBF?”, tem perguntado Dilma a amigos e políticos que recebe em seu gabinete. Está empolgada com a idéia.
• Urticária – Dilma sente urticária quando lembra que terá de conviver com o atual chefe da CBF em eventos das copas das Confederações e do Mundo.

• Fim do mundo – O desprezo por Marin é compartilhado por Dilma e Joseph Blatter, da Fifa: acham o fim do mundo a CBF nas mãos de alguém sob suspeita.

Empresa de mochilas vende cisternas ao governo
• Empresa ligada à “Máfia da Mooca”, de São Paulo, investigada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, a Capricórnio S/A venceu licitação para instalar 137 mil cisternas no Nordeste, no valor total de R$ 780 milhões. Sua especialidade é outra: fornece kits de uniformes e mochilas escolares para o governo tucano paulista. O edital saiu às vésperas do Carnaval.

• Recurso – Concorrente da Capricórnio, a Compecc Engenharia recorreu contra o resultado da licitação da Codevasf, apontando inúmeras anomalias.

• ‘Infeliciano’ – Deputados que já pensam em deixar o PSC apelidaram de “Infeliciano” o pivô da polêmica sobre a Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

• Chanchada – Uma piada no Twitter diz que Lula está cada vez mais parecido com o falecido cômico Zé Trindade, aquele do bordão “Mulheres, cheguei!”.

• Mão na taça – A votação foi na segunda (8), mas o resultado só saiu ontem: o embaixador Roberto Azevedo, expoente da atual geração de ouro da diplomacia brasileira, passou à segunda fase da disputa para diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC). Tem chances.

• Bicho pegou – O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) foi chamado às pressas ao Planalto após a convocação da ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) na Câmara para dar explicações sobre a demarcação de terras indígenas.

• Aposentadoria – A governadora Roseana Sarney (MA) obteve ontem sua aposentadoria como analista legislativo, nível III, padrão S45, o mais alto do Senado: o valor supera o teto. Após o redutor, vai receber R$ 26,7 mil mensais.

• PSD apoia zona franca – O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, vai sábado a Manaus  manifestar apoio à Zona Franca e à PEC que fixa duração de 50 anos ao modelo. Será recebido pelo governador e correligionário Omar Aziz.

• Leilão de político – Líder do PSB, Beto Albuquerque (RS) afirmou que não vai barganhar para segurar o empresário Júnior do Friboi, que está de malas prontas para o PMDB: “Não vamos participar de leilão por liderança nenhuma”.

• Explicado – Colecionadores dos casos de pé-frio do ex-presidente Lula já incluem na lista a decadência do ricaço Eike Batista. O ex-bilionário entrou em inferno astral depois que Lula aceitou ajudá-lo em seus projetos.

• Se a moda pegasse… – O presidente da Bolívia, Evo Morales, cancelou decreto que dava passagem em primeira classe à filha nas viagens ao exterior com ele. Ela mesma pediu, para não ser insultada por contribuintes revoltados.

• Vitrine quebrada – A revista Time destaca o estupro da turista no Rio e outros crimes nas cidades brasileiras: acobertados pela impunidade, perigam destruir a imagem do Brasil, “apesar do povo gentil e de grandes obras da Copa”.

O PODER SEM PUDOR
Seguro contra
maus espíritos
Quando era diretor do Banco da Amazônia, o engenheiro Orion Klautau precisava tomar uma decisão importante, quando se lembrou que a sua secretária era espírita kardecista. Mesmo sendo católico fervoroso, ele pediu ajuda à assessora para “incorporar” o espírito do presidente John Kennedy, de quem é admirador. Mas suplicou:
– Fique aqui por perto, porque pode baixar o Barata…
Referia-se a Magalhães Barata, ex-governador do Pará. 

hoje

Mais lidas