32 C°

sábado, 7 de dezembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

Colunista - Fernando Maia

Os males da politicagem

terça-feira, 13 de agosto 2019

 

O secretário Nacional da Segurança Pública, o general cearense Guilherme Theophilo, anunciou, ontem, que no próximo dia 25 o presidente Jair Bolsonaro fará o lançamento oficial do Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos. Esse plano constará da instalação de equipamentos de segurança para cidades de altos níveis de criminalidade com violência. Num primeiro momento o objetivo é beneficiar 5 cidades em cada região do País, sendo uma a cada vez. As primeiras 5 cidades beneficiadas serão Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Paulista (PE) S. José dos Pinhais (PR) e Goiânia (GO). O Ceará ficará fora desse plano. O que mais causa indignação é que foi exatamente o nosso estado o primeiro a ser citado para inaugurar esse projeto salvador contra a violência que assola o País. Dentro de uma ordem de conveniências, a cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, por ostentar elevado índice de criminalidade, ganharia a corrida para receber o socorro do governo federal, não fora a interferência de fatores estranhos à própria essência do problema. Depois de informações e contrainformações, de empurra-empurra acabamos sem saber o certo sobre os motivos, e o que é pior, a cidade continua ocupando a liderança nacional de violência. O general Theophilo foi acusado como responsável por esse descaso, quando, na verdade, sabe-se que ele efetuou esforços para priorizar o Ceará como um todo.

Cumpriu a sua parte. A ausência do Ceará no Programa Nacional de Combate à Violência, deve ser vista sem as tintas da rivalidade política. A deputada Fernanda Pessoa tentou comprometer o Governo do Estado para encobrir os esforços do deputado Júlio Cesar, líder do Governo, formalmente vencido pela inoperância e incompetência do prefeito Firmo Camurça, de Maracanaú, tendo a seu lado Roberto Pessoa que trocou a vice prefeitura pela Câmara dos Deputados, onde poderia direcionar ações para incluir o seu município nesse programa e nada fez.

Dnocs esvaziado. Ontem, na Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca, uma audiência pública reuniu representantes de várias secretarias, técnicos da Faec, além dos deputados federais Roberto Pessoa (PSDB) e Heitor Freire (PSL). Mais uma vez, o tema foi o Dnocs que além de desaparelhado, encontra-se esvaziado financeiramente. É deprimente ver uma entidade com o seu histórico sobrevivendo em estado terminal.
Secretaria política. Está em boas mãos a Secretaria das Cidades, a mais política de todas as pastas do Governo do Estado. O deputado Zezinho Albuquerque (PDT), ex-presidente da Assembleia Legislativa representa o mais eficiente elo com lideranças políticas do Estado, dividindo o seu tempo entre receber lideranças e viajar ao Interior, onde fiscaliza e inaugura obras.
Ceará na liderança. O Ceará ocupa o mais alto do pódio do turismo, superando em 9,9% a média nacional, estado a estado. A informação é do IBGE, em recente avaliação. O crescimento dos números deu-se em termos de mercado no Brasil e do exterior. O segredo para esse avanço tem uma explicação: mais voos.
Médicos de família. Ontem, na sede da Escola de Saúde Pública do Estado, Roberto Cláudio, ao lado do governador Camilo Santana, deu início ao projeto “Médicos da Família Fortaleza”. Vão substituir a ausência dos cubanos. São 170 médicos para atuar nos postos de saúde em Fortaleza, com salários de R$ 11.685,00 pagos integralmente.
Desportista campeão. O deputado Evandro Leitão responsável pelo sucesso do time do Ceará faz elogios ao Banco do Nordeste do Brasil, que libera para o BNB Clube verba de R$ 2.8 milhões destinada à modernização, reaparelhamento e ampliação do complexo esportivo e formação de atletas em várias especialidades.
Guima quer só vândalos. O deputado José Guimarães (PT) tem se destacado por “pisadas de bola” na Câmara dos Deputados. A mais recente foi uma proposta por ele apresentada e defendida, para que sejam retirados militares da Força Nacional de Segurança em manifestações estudantis. Isso até teria lógica, se essas manifestações não fossem operadas por vândalos da CUT e do MST. Isso não pode, mas dólares na cueca pode…

“Para ninguém é novidade a necessidade de chuvas que os nordestinos têm para sobreviver. Mas, sem dúvida, a região necessita também de chuvas de honestidade”. Flávio Leandro cantor e compositor pernambucano.

hoje

Mais lidas