32 C°

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

aniversario
aniversario

Colunista - Fernando Maia

Previsão pedetista

quinta-feira, 29 de outubro 2020

O PDT irá disputar o segundo turno contra o deputado Capitão Wagner e o fará ao lado de todos os seus aliados. E isso inclui o PT. É dessa maneira que André Figueiredo, presidente estadual do PDT, resume o que acontecerá na disputa pela Prefeitura de Fortaleza. Em suas declarações, ele afirma que a união do PDT com o PT tem motivação maior que problemas regionais. A aliança dessas siglas, é um caminho para impedir a permanência do bolsonarismo no poder. Ao se referir à campanha olhando a candidatura da deputada Luizianne Lins, do PT, ele faz questão de amenizar o que tem sido mostrado e que, segundo ele, não passam de comparativos entre as gestões de Luizianne e de Roberto Cláudio, o que em nenhum momento pode ser considerado como agressão à pessoa dela. Para André, há, no espírito dos pedetistas e de seus aliados, assim como entre petistas que trabalham com a ex-prefeita, uma firme consciência de que o adversário a ser derrotado é o Capitão Wagner. Neste momento em que José Sarto Nogueira e Luizianne se “embolam” no segundo lugar das pesquisas, afirma-se, segundo André, o crescimento progressivo do presidente da Assembleia Legislativa. Com toda a sua boa vontade para simplificar as cotoveladas em Luizianne Lins, não soube dizer como PDT e PT colocarão a candidata do PT num mesmo palanque ao lado dos irmãos Ferreira Gomes.

André quer evitar retaliação. As ultimas declarações do deputado André Figueiredo não expressam a verdade dos bastidores. Luizianne Lins dificilmente concordará em subir no palanque de Ciro e Cid Gomes. O que André vê como aliança de salvação, ela enxerga como colonização política, destruindo o princípio plural do poder democrático com uma abordagem diferenciada de domínio. Se ela concordar em nome de uma aliança unilateral, estará renunciando ao que tentou corrigir com a sua candidatura à sucessão municipal. Quanto ao senhor André Figueiredo, ele teme que aconteça o pior: retaliação da fera ferida apoiando o Capitão Wagner.

Drones. Célio Studart (PV) acredita na importância da modernidade do TSE ao anunciar a fiscalização das campanhas eleitorais usando drones. O problema maior, diz, é descobrir meios tecnológicos ou não, para impedir a negociata de votos de chefes políticos e eleitores por baixo dos panos.
Armadilhas. Não deixa de ser boa a informação do Contran, de que, a partir de agora, radares móveis e fotossensores deverão ser colocados em locais visíveis, e não escondidos, já que existem para educar, e não para multar motoristas incautos. Engana-se quem assim pensar. Eles são propositadamente direcionados a esse objetivo.
Maldade. Para petistas que defendem a aliança PT-PDT, não causa surpresa a maneira como a deputada Luizianne Lins, ao insistir em ser candidata, termine como está, “imprensada” entre os candidatos do Pros e do PDT. Isso é maldade de correligionários, A campanha do candidato do PDT fez pior, concentrando críticas às gestões da “Loura”.
Pesquisa. O resultado de mais uma pesquisa do Instituto Paraná sobre o pleito de Fortaleza, além de mostrar Sarto Nogueira na segunda colocação, tecnicamente empatado com Luizianne Lins, trouxe mais um detalhe que bem poderia ser alvo de maior atenção dos candidatos: 41% dos eleitores, ainda não têm candidato.
Surpreendeu. Bateu forte o senador Eduardo Girão (Podemos), tido como diplomata, partindo pra cima do governador Camilo Santana, acusando-o de ter a sua campanha de 2014, “irrigada“ com R$ 25 milhões de dinheiro dos cofres públicos. Girão tem cara de santo, mas sabe também jogar pesado.

“Se permitirmos a realização de votações através dos Correios, ou da Internet, aí sim, o mundo vai aprender como se frauda uma eleição”. Ricardo Noblat, colunista da “Veja”.

hoje

Mais lidas

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com